Turquia: de Sivas à grande mesquita e hospital de Divriği

3

Madrassa Gök, Sivas, TurquiaDepois de ter saído de Istambul com um céu cinzento, acordo agora a algumas centenas de quilómetros numa manhã fria mas de céu azul. Convenientemente o autocarro pára mesmo no centro da cidade antes de ir para a otogar. Pouco passa das 5 da manhã e a cidade começa a acordar. Aproveito as fantásticas condições para tirar algumas fotos, entrando mesmo dentro de algumas das vedações que protegem as obras. Não há ninguém para me impedir.

Pela primeira vez nas minhas viagens estou perante o estilo arquitectónico que caracteriza as construções religiosas da Ásia central: madrassas com belos pórticos e mineretes gémeos coloridos com cerâmica vermelha e azul. É lindíssimo, pelo menos na minha opinião.

Realmente compensa acordar cedo: pelas 7:30 da manhã já visitei o que queria em Sivas e deito-me um pouco sobre os degraus de pedra do novo parque que rodeia estes edifícios. Estou bastante cansado. Isto de viajar de noite é bom para aproveitar o tempo e poupar dinheiro em hotéis, mas depois os dias custam mais. Uma solução é dormir a sesta deitado na relva dum parque, mas às 7 da manhã, quando a cidade está a acordar, todos por aqui parecem incomodados com a minha sesta fora de horas. Por duas vezes, homens que passam vêm ter comigo e sem falarem ponta de inglês lá me convencem a levantar. Cheguei a pensar que fosse pelo respeito ao local, mas depois concluo que é por eu estar na pedra fria. Por fim lá há um velhote que me convence a ir sentar com ele num banco junto à mesquita. Partilhamos o pequeno almoço e comunicamos por gestos.

Madrassa Buruciye, Sivas, TurquiaConvenço-me que o descanso tem de ficar para mais tarde e vou explorar o resto da cidade: a mesquita principal, ruínas duma outra madrassa também em obras de restauro e por fim, voltando à praça central entro no pátio de uma madrassa que está hoje transformado em esplanada e feira de artesanato local. Assim que entro, um rapaz convida-me a sentar com ele e tomar um chá. Chama-se Tuna, é estudante e fala-me um pouco da história de Sivas: uma das cidades mais importantes da Turquia moderna, palco de um grave atentado contra escritores e outros homens da cultura por parte de radicais, ou não fosse esta uma das cidades mais conservadoras da Turquia, e dos 45º negativos que aqui se fizeram sentir no inverno de 1985.

Ele leva-me até um autocarro urbano que vai para a otogar e paga-me a viagem. Assim que chego sou abordado por um vendilhão que me pergunta para onde vou e me leva à sua banca para comprar bilhete. Não sei se sou roubado ou não: pago 15YTL pelo bilhete para Divrigi e não os 10 que estava à espera. Tenho de esperar uma hora. Aproveito para comer cerejas. Em todo o lado ao longo desta viagem encontro cerejas, de todos os tamanhos e preços e sempre saborosas, que fazem temer um distúrbio intestinal.

Só agora que viajo acordado tomo noção da paisagem que me rodeia aqui no centro da Anatólia. Colinas lisas cobertas de um verde rasteiro primaveril, que faz antever que em breve mudarão para tons de castanho e cinzento com a chegada do Verão. Fico satisfeito por ter vindo nesta época do ano. Pelo caminho passo por Kangal, terra natal duma raça de cães do mesmo nome e muito apreciada como guarda e pastor.

Grande mesquita e hospital de Divriği, TurquiaChego pelas 2 horas a Divrigi e quando pergunto ao motorista para que lado fica a “Ulu Cammi“, a mesquita grande, ele oferece-se para me levar até lá. Deixa-me mesmo à porta e entro. Há mais dois turistas a visitá-la, acompanhados de um guia. Aproveito para ouvir as explicações e depois fico sozinho. Aproveito a calma e o fresco do interior da mesquita para descansar um pouco, assim como uma tomada para carregar as baterias da máquina fotográfica. Aparecem mais dois turistas, turcos, de vez em quando o silêncio é interrompido pela algazarra das crianças duma escola mesmo ao lado. Visito com calma a parte do hospital e perco-me a contemplar os rendilhados das esculturas das portas. Fazem-me lembrar o meu vizinho mosteiro da Batalha.

Inscrita na lista da UNESCO em 1985, a mesquita e antigo hospital de Divrigi é talvez o monumento desta lista menos visitado na Turquia.

Grande mesquita e hospital de Divriği, TurquiaA história significativa de Divrigi remonta ao século IX, época em que então chamada de Tephrice esta era a capital de um estado semi-independente de cristãos arménios. No século XII a cidade acabou por cair nas mãos dos turcos que mandaram construir esta impressionante mesquita pouco antes da invasão dos mongóis em 1277.

O edifico que vemos hoje é ainda o original  mandada construir pelo emir Ahmet Shah e que compreende para além da mesquita de apenas uma sala de oração, um parte anexa (na verdade maior que a própria mesquita) onde funcionava um hospital.

Os principais elementos que se destacam são as 4 portas incrivelmente decoradas com vários motivos esculpidos em pedra e que contrastam com a simplicidade dos interiores onde não há qualquer elemento decorativo. Este edifico é assim considerado um dos mais importantes exemplares da arquitectura da Anatólia.
Pormenor da decoração das portas >

 

Estação de comboio de Divrigi, TurquiaPelas 16h pego na mochila e desço pela cidade até à estação de comboio. Ainda são uns 2km. Preciso de confirmar a que horas tenho comboio no dia seguinte para Erzinçan. O pessoal da estação é super divertido e prestável, mas nenhum fala inglês. Um deles, que julgo ser o chefe da estação, põe-me ao telefone com a filha, que também não fala muito mais que os outros. Consigo perceber que tenho comboio às 8, que custa 6YTL e que a bilheteira só abre das 4 às 12. Regresso ao centro.

Procuro por 3 coisas: onde comer, onde possivelmente dormir e onde aceder à Internet. Ao contrário do que é costume na Turquia, aqui nada disto está ao virar da esquina. Não há kebabs, só encontro um restaurante, não encontro hotéis, nem internet. Numa loja de telemóveis lá me indicam um cybercafé. Um dos melhores. Subo uma escada até uma esplanada. Por um chá, tenho direito a usar um dos portáteis para aceder à net e posso-me sentar em qualquer lugar do terraço a desfrutar da vista.

Vou comer ao restaurante. Acabo a pagar 19YTL (cerca de 10€) por uma boa refeição, mas que não os valia. Sou turista… Como não se avistam hotéis e já é noite, decido seguir com o meu plano inicial. Vou até à estação. Encho a minha colchonete insuflável e estico o saco cama no chão da sala de espera. Ao contrário desta manhã em Sivas, aqui ninguém me incomoda.

Fotografias da mesquita e hospital

Como chegar a Divrigi

Pode ir até Divrigi de duas formas: de comboio, ou de minibus a partir de Sivas.

Comboio

Estação de comboio de Divrigi, TurquiaO “Dogu Express” sai diariamente da estação de Haydarpasa em Istambul às 07:00 da manhã e chega a Divrigi aproximadamente 25 horas depois. Digo aproximadamente porque este comboio sofre muitos atrasos. Eu apanhei-o em Divrigi para seguir viagem para oriente, até Erzincan. Era suposto ele passar lá ás 8 da manhã, mas na verdade só chegou ás 12h00!! Portanto, se vem de Istambul e está com pressa, será talvez preferível vir de autocarro.

A estação de comboios (na fotografia) fica a cerca de 1km do centro, junto ao rio. É só seguir a estrada que vai a descer.

No entanto, se pretende seguir a sua viagem para leste, o comboio será a melhor opção, já que não há estrada nesta direcção e teria de voltar a Sivas. Para isso tem duas opções:

  • Dogu Express: Passa em Divrigi entre as 8h00 e as 12h00 da manhã e continua até Kars, passando por Erzurum e Erzincan. O bilhete Divrigi – Erzincan custa 4,5YTL para estudante. Em Erzincan pode apanhar um autocarro para Trabzon ou Maçka para visitar o mosteiro de Sumela. A otogar de Erzincan fica a cerca de 1km da estação de comboio.
  • Comboio local: há um comboio local que parte de Divrigi em direcção a Erzincan todos os dias por volta das 5 ou 6 da manhã. Informe-se na estação do horário certo. Este comboio é mais pontual.

Atenção que a maioria do pessoal que trabalha na estação não fala nada de inglês. No entanto são muito simpáticos e certamente será convidado para se sentar a tomar um chá com eles!

Vídeo da viagem de comboio

AutocarroOtogar de Sivas, Turquia

Para chegar de autocarro a Divrigi terá sempre de passar por Sivas. Sivas é uma das principais cidades do centro da Turquia e também muito importante para a história da Turquia moderna.

Há regularmente autocarros a partir de Istambul por 60YTL (Junho 2010) ou a partir de outras cidades. Istambul – Divrigi demora cerca de 12 horas e pode fazer a viagem nocturna, saindo ao fim do dia chega de madrugada a Sivas para ver a praça das mesquitas e antigas  madrassas.

Sugiro que aproveite para visitar Sivas. Basta uma manhã. De volta à Otogar, os minibus para Sivas partem aproximadamente de hora a hora da gare dos minibus que fica um pouco mais recuada (ver fotografia).
A viagem custa 15YTL e dura aproximadamente 2 horas, numa estrada rodeada de uma paisagem fenomenal.

Onde Dormir, comer, aceder à Internet, levantar dinheiro

Jantar em Divriği, TurquiaA oferta turística em Divrigi é muito limitada já que para além de ser um local pouco visitado, a maioria dos turistas vem e volta a Sivas no mesmo dia. Na tarde em que eu cheguei não encontrei nenhum hotel. Na verdade, também não procurei já que ia a fazer conta de dormir na estação de comboio, como acabou por acontecer. Só no outro dia de manhã vi um hotel.

Em relação a alimentação há alguns restaurantes, mas não se vêm os típicos kebabs. Eu acabei por ir a um restaurante mesmo turístico, comi bem, mas também paguei bem: 19YTL (quase 10€!).

Divriği, TurquiaPara aceder à internet há vários locais. O mais agradável é o “Girgir Café”. Fica na Naci Demirag, a rua principal que desce para a estação e tem uma fantástica explanada. Trata-se de um Cyber Café um pouco diferente do habitual. Aqui só tem de pedir um chá por exemplo (que custa 1YTL) e tem logo direito a um portátil que pode levar para qualquer mesa e aceder à net sem pagar mais nada!

Em Divrigi há vários bancos com caixa multibanco (ATM) onde pode levantar dinheiro.
Dica: Quando não encontrar Internet pergunte nas lojas de telemóveis  ( há muitas) que eles sabem e levam-no até à porta.

 

Outros locais a visitar em Divrigi

Para além da mesquita, assim que chegar a Divrigi vai certamente ver o enorme castelo na colina ao lado. Este encontra-se em ruínas por onde pode circular livremente. Há pouco para ver e a subida até lá é um pouco dura, mas vale a pena pelas vistas. Há ainda espalhados pela cidade em redor da mesquita alguns mausoléus, todos eles restaurados com os quais certamente se deparará.

Mapa de Divrigi


Ver Divrigi num mapa maior

Fotografias de Sivas

Mapa de Sivas


Ver Sivas num mapa maior

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá amigo chi que página mais completa! é bom este sistema tudo na mesma página, já comecei a adoptar no site em inglês, e também nalgumas páginas em português! está mesmo super interessante e tem tudo o que se precisa saber numa só página. Parabéns e grande abraço desde Erfoud!

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.