Templos Megalíticos de Malta

0

Os seis templos megalíticos de Malta que integram este lugar UNESCO são exemplos notáveis de construções datadas da idade do bronze e representam o desenvolvimento cultural, artístico e tecnológico da civilização da época.

Todos eles datam do terceiro milénio antes de Cristo, ou seja, mais de 5000 anos atrás!

Templos Megalíticos de Hagar Quim, Malta
Templo Megalítico de Hagar Quim com a sua cobertura, ilha de Malta

À semelhança de outros templos pré-históricos, também aqui a sua construção foi orientada pelos astros, especialmente o Sol, com portas e janelas alinhadas pelo Solstício e Equinócio.

Dos monumentos classificados visitei 3: 2 na ilha de Malta (Hagar Qim e Mnajdra) e o único existente na ilha de Gozo (Ggantija).

Fiz este video junto ao templo de Ggantija na ilha de Gozo. Dá para para ver o forte vento que se fazia sentir na altura em que visitei. Tendo em conta que a maior parte dos dias em Malta são assim, compreende-se a necessidade de os proteger da erosão provocada pelo clima.

Templos Megalíticos de Hagar Qim e Mnajdra

Estes dois templos localizam-se a 500m um do outro na costa Sul da ilha de Malta. Na entrada há um museu onde se adquire o bilhete para os dois templos. Este museu é muito interessante por haver vários objectos que pode tocar e experimentar, com as técnicas e os materiais usados pelos construtores.

O preço do bilhete é de 9€, mas se quiser só passear pelo local sem entrar nos templos, pode circular pela área envolvente, até uns 50m destes.

Para os proteger da erosão provocada pelo clima, foram recentemente construídas umas enormes “tendas” sobre estes dois templos, que a meu ver, descaracterizam um pouco o local, mas são um “mal” necessário à preservação deste património, que uma vez escavado iria-se degradar em pouco tempo.

Só uma nota: se tem medo de cobras, vá preparado, eu vi duas enquanto caminhava de um templo para o outro.

Interior do templos Megalíticos de Hagar Quim, ilha de Malta
Interior do templo Megalítico de Hagar Quim, ilha de Malta
Templo Megalítico de Hagar Quim, ilha de Malta
Templo Megalítico de Hagar Quim, ilha de Malta
Templo megalítico de Mnajdra na ilha de Malta
Templo megalítico de Mnajdra na ilha de Malta
Interior do templo megalítico de Mnajdra na ilha de Malta
Interior do templo megalítico de Mnajdra na ilha de Malta

Como chegar

Para chegar a estes templos deve apanhar o autocarro 201 que percorre toda a costa Sul da ilha. Pode apanhá-lo em Rabat ou no aeroporto. Eu apanhei-o no aeroporto assim que aterrei, pois viajava com uma mochila pequena, e fui logo para as ruínas 🙂

Templo Megalítico de Ggantija

Este é o único templo megalítico da ilha de Gozo que faz parte desta lista.

Ao contrário dos dois que apresentei anteriormente, este não está coberto, o que quanto a mim torna o local mais agradável de visitar.

O bilhete aqui custa 5€ e permite também visitar o moinho de vento de Ta Kola, que fica a uns 500m.

Vista geral do templo Megalítico de Ggantija, Ilha de Gozo
Vista geral do templo Megalítico de Ggantija, Ilha de Gozo
Interior do templo Megalítico de Ggantija, Ilha de Gozo
Interior do templo Megalítico de Ggantija, Ilha de Gozo
Interior do templo Megalítico de Ggantija, Ilha de Gozo
Interior do templo Megalítico de Ggantija, Ilha de Gozo

Como chegar

As rotas dos autocarros em Gozo são todas centralizadas em Victória. Para Ggantija deve apanhar o 307, ou, se optar por essa forma, os autocarros “Sightseeing” também param junto às ruínas.

Ir a pé também pode ser uma opção. Eu fui desde Xewkija até lá, que são uns 2km, e tirando o forte vento que se fazia sentir, foi uma caminhada agradável.

Fotografias dos templos megalíticos de Malta

Veja agora a minha galeria do Flickr com todas as fotos que tirei nestes templos em Malta.

Mapa dos templos megalíticos


Ver Templos megalíticos de Malta num mapa maior

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!