Jaipur: uma cidade em tons de rosa

1

Viagem à Índia - Jaipur, a cidade rosa

Jaipur, a cidade rosa, capital do imenso estado do Rajastão, foi a minha última paragem nesta viagem pela Índia. Daí apanhei no último dia um comboio de regresso a Bombaim de onde voaria de regresso a casa.

Depois de tanta Índia esta foi uma cidade que ainda me consegui encantar. Vim aqui em busca dos palácios e fortalezas muito frequentes neste estado e encontrei-os.

Rua da cidade rosa de Jaipur, Índia
Rua da cidade rosa de Jaipur, Índia

Visitar Jaipur

Jaipur é uma cidade de certa forma calma, pelo menos no centro histórico onde o trânsito é diminuto comparado com o caos de outras cidades. Eu fiquei um dia e meio na cidade o que se revelou manifestamente pouco. Penso que três dias será o indicado para fazer uma visita decente.

Para além das ruas com imensa cor como é comum na Índia e dos belíssimos palácios da cidade, há ainda as fortalezas que ficam nos arredores. Destas apenas visitei o palácio de Amber, pelo que ficou muito por ver.

No planeamento de uma viagem aqui, há que ter em conta que esta região da Índia pode atingir temperaturas altíssimas. Em Maio, quando eu andei por lá, os termómetros andavam acima dos 45º! Isto condiciona muito a visita, especialmente para visitar os fortes nas montanhas onde a temperatura é abrasadora.

Bilhete composto para os monumentos de Jaipur

Para quem quiser fazer uma visita profunda ao património de Jaipur, há um bilhete composto válido por 2 dias que permite visitar a maioria dos locais, incluindo o Forte Amber (mas não o Palácio da Cidade). Este bilhete custa 1000 Rupias. É preciso fazer bem as contas para ver se compensa.

Hawa Mahal, o Palácio dos Ventos

O Hawa Mahal é o cartão de visita da cidade de Jaipur, pintado no tom rosa característico da cidade. Confesso que antes de o ver ao vivo não tinha compreendido a sua beleza. Para o admirar verdadeiramente é necessário observa-lo de várias perspectivas e ver como ele se eleva com as suas janelinhas.

Hawa Mahal, o Palácio dos Ventos em Jaipur
Hawa Mahal, o Palácio dos Ventos em Jaipur

Dormir em Jaipur

Como já referi na página sobre viajar na Índia, em todas as cidades há hotéis onde se dorme por 300 ou 400 Rupias. A verdade é que por pouco mais que o preço de um hostel na Europa se pode dormir num bom hotel na Índia. Em Jaipur optei por ficar numa zona conhecida como Bani Park. Separam-na cerca de três quilómetros do centro da cidade, mas é próxima da estação de comboios.

O hotel que escolhi foi o majestoso hotel Humaid Mahal. Todo o edifício, por dentro e por fora fazem o hospede sentir-se um verdadeira marajá! A estadia ficou por cerca de 30€ por noite.

Estar longe do centro é bom para descansar. Por outro lado, fica-se condicionado por não haverem restaurantes na área, à excepção do do hotel, que é um pouco caro para os padrões indianos.

Veja aqui mais informações sobre este bom hotel em Jaipur.

Quarto no hotel Humaid Mahal em Jaipur, Índia
Quarto no hotel Humaid Mahal em Jaipur, Índia

Jantar Mantar, um mundo de gigantes

O Jantar Mantar de Jaipur é um dos vários conjuntos de gigantescos instrumentos astronómicos existentes na Índia. Mandados construir no início do século XVIII pelo marajá Jai Singh II este é aquele que se encontra mais bem conservado, com um total de 19 instrumentos.

Entre estes está o maior relógio de Sol do mundo, com uma precisão de 2 segundos! A obra, com 27 metros de altura, tem uma inclinação de 27º, a latitude de Jaipur.

São vários os outros instrumentos que permitiam medir com grande precisão a posição dos corpos celestes a olho nu. Destes destacaram-se para mim as semi-esferas celestes em mármore, e o conjunto de 12 pequenos instrumentos que permitem medir as coordenadas das constelações do Zodíaco.

Embora haja alguma informação a explicar os instrumentos, é recomendável contratar um dos guias que está à entrada. Eu não o fiz e fiquei arrependido. O preço do guia é 200 Rupias, o mesmo que o bilhete de entrada.

Colossal relógio de Sol no Jantar Mantar e Jaipur
Colossal relógio de Sol no Jantar Mantar e Jaipur

Palácio da Cidade

É no centro da cidade que se encontra o Palácio da Cidade, morada dos Marajás do Rajastão. O palácio é de uma beleza imensa, que esta sobretudo em pequenos detalhes.

O bilhete para o palácio custa 400 Rupias. Pode-se ter um guia ou um audio-guia por mais 200 Rupias. de referir que aqui as informações disponíveis para os visitantes são quase nulas.

Interior do Palácio da Cidade de Jaipur, Índia
Interior do Palácio da Cidade de Jaipur, Índia
Guardas no palácio da cidade de Jaipur, Índia
Guardas no palácio da cidade de Jaipur, Índia

Museu Albert Hall

Esta foi a maior surpresa da minha visita a Jaipur. Nunca tinha ouvido falar deste edifício. Como só o descobri ao final do dia já não deu para entrar e visitar o museu que alberga. Acabei por ficar um pouco a deliciar-me com os detalhes da sua arquitectura e a observar os milhares de pombos que por ali habitam.

Museu Albert Hall em Jaipur, Rajastão, Índia
Museu Albert Hall em Jaipur, Rajastão, Índia

Transportes em Jaipur

Como a grande maioria dos viajantes, cheguei a Jaipur de comboio. No meu caso parti de Agra num comboio que vinha de Varanasi. A viagem demorou cerca de 6 horas e custou 490 Rupias na classe AC3. Pode-se chegar a Jaipur em comboios directos de algumas das principais cidades como Mumbai, Agra, Deli, Varanasi, etc.

Paragem de Auto-Rickshaw em Jaipur
Paragem de Auto-Rickshaw em Jaipur

Esta é talvez a cidade da Índia onde encontrei os condutores de Auto-Rickshaw mais “agressivos” para com os turistas. Sou atacado logo à saída do comboio e nem me deixam ver que há um stand de pré-pagos, como nas ouras cidades.

São às centenas e alguns, mais empreendedores, têm mesmo cartões de visita para dar aos turistas. Melhor: há alguns que se fazem acompanhar de um caderno onde turistas de todo o mundo, satisfeitos com o seu trabalho, deixam uma recomendação. A ideia é serem contratados para um dia inteiro de vista à cidade e arredores. Alugar um Rickshaw nestas condições fica por 400 Rupias e pode ser uma boa opção.

Ali perto: o Palácio Amber

Em 2013 a UNESCO inscreveu na lista de Património da Humanidade 6 dos fortes existentes nas colinas desta província indiana. Amber é provavelmente o mais conhecido dos fortes do Rajastão. Neste caso, um forte apalaçado.

Palácio-Forte de Amber, Rajastão, Índia
Palácio-Forte de Amber, Rajastão, Índia

Amber fica a uns 10 quilómetros a norte do centro de Jaipur. A cada 10 ou 15 minutos pode-se apanhar um autocarro por 10 Rupias. Estes partem da rotunda junto ao Hawa Mahal e basta estar atento ao pregão “Amer, Amer!” para os descobrir.

Depois de uma rápida viagem, apertado e em bancos desconfortáveis, surge o palácio. As muralhas serpenteiam pelas montanhas em seu redor, fazendo imaginar a muralha da China.

Entrada na zona nobre do palácio Amber no Rajastão
Entrada na zona nobre do palácio Amber no Rajastão
Jardim no interior do Forte apalaçado de Amber, Índia
Jardim no interior do Forte apalaçado de Amber, Índia
Interior do Palácio de Amber, Índia
Interior do Palácio de Amber, Índia

Estranhei não ver os populares elefantes que transportam os turistas até às portas do palácio. Passei por um quando ia no autocarro, mas nada mais que isso. Imagino que seja pelo calor que se faz sentir. Embora os elefantes sejam uma das imagens de marca deste forte, não fazem falta para a subida que são apenas uns 100 metros. Além disso, diz-se que o tratamento que lhes é dado não é o mais adequado…

A entrada no palácio custa 500 Rupias. Quem quiser um guia para o acompanhar na visita, terá de desembolsar mais 200 Rupias. O calor faz-se sentir com força durante a visita. O interior do edifico não desilude, mas a falta de manutenção também não ajuda a que impressione.

Há milhares de escadas, corredores labirínticos, salas e salinhas, com pouco mais do que as paredes. A informação para o visitante é quase inexistente. Um guarda, fazendo-se à gorjeta, leva-me até ao local onde está a nora que elevava a água do lago para o interior do palácio. Não lhe dou nada. O facto de ter de pagar 20 vezes mais pelo bilhete do que um indiano deixa-me logo com pouca vontade de dar gorjetas. Acresce ainda a isto que constantemente me estão a pedir para mostrar o bilhete, enquanto os da terra passam sem lhes dizerem nada.

Mulheres a descerem do Palácio Amber no Rajastão
Mulheres a descerem do Palácio Amber no Rajastão

O mais inesquecível estava guardado para o fim. Já à saída, segui uma placa que indicava um túnel. O dito túnel não é mais que uma galeria dentro da muralha, não muito escuro, mas que alberga uma gigantesca colónia de morcegos. decidi sair quando cheguei a uma zona em que paredes e tectos estavam pintados de negro com estes roedores pendurados e os seus guinchos já metiam respeito.

Forte de Jaigarh nas montanhas acima do Palácio Amber
Forte de Jaigarh nas montanhas acima do Palácio Amber

Por cansaço e falta de tempo  ficou por visitar o Forte de Jaigarh, que domina as montanhas acima do Palácio Amber. Recomendo por isso a quem tiver tempo, que venha bem cedo para aproveitar um dia inteiro em Amber.

Mapa de Jaipur

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

1 COMENTÁRIO

  1. […] O comboio é o meio de transporte de excelência para viajar pela Índia. Por enquanto reservar bilhetes online fora do país é tarefa difícil já que é pedido um número de telefone indiano. Talvez por viajar numa época baixa não tive qualquer dificuldade em conseguir os meus bilhetes quando cheguei ao país. Sendo Bombaim a minha cidade de entrada e saída, no dia em que cheguei tratei logo de ir reservar o bilhete para a viagem de regresso no final da viagem, daí a duas semanas a partir da cidade de Jaipur, no Rajastão. […]

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!