Décimo Quarto: Festa de Natal

1
“Em plena luz do dia, até os sons cintilam.”
Fernando Pessoa

O Natal em África é diferente. O Natal em África é Festa!
Ao contrário da fria Europa, as temperaturas de Dezembro são suficientemente amenas para que no dia de Natal as pessoas em vez de ficarem em casa à lareira com a família, a comer o bacalhau e o perú saiam à rua numa grande festa…………

Guiné-Bissau; Actividade dos escuteiros de Porto de Mós na Guiné em 2005Noite de Natal, 2005

A alegria é enorme. Não são necessárias toneladas de presentes para que as crianças corram por todo o lado com um sorriso estampado no rosto.

Recordo dois episódios particulares deste Natal em África.

O primeiro, é algo que atormenta qualquer branco que se desloque por aquelas paragens nesta época festiva. Rapidamente nos apercebemos dum hábito diferente do Natal europeu. Constantemente somos abordados com a frase: “Brancu, i kuma? Pati festa!” (Branco, como estás? Dá-me festa!”, ou simplesmente “Festa!”, na esperança de receberem uma nota de 1000CFA.
Para não parecer mal educado, de vez em quando lá se entra na conversa (fazendo de conta que não se está a perceber o que eles querem).
“-Festa?? Que festa?”
“-Festa de Nata!”
“-Mas o Natal é só Domingo” ou “- Mas o Natal já passou…”
“-Mas hoje é dia de S. Brás!” (respondeu um na semana depois do Natal)
“-Não tenho aqui dinheiro”
“-Festa de Ano Novo!…” (diz um enquanto nos vamos afastando)

E assim fica. Ás vezes fica-se a pensar, realmente 1000cfa não custava nada a dar, mas e os outros? Iria isto mudar alguma coisa? Certamente que iria trazer um sorriso, mas não ia mudar nada. No outro dia, aquele homem iria acordar na mesma sem emprego, sem esperança…
Não tenho hábito de dar esmolas a pedintes de rua. Faço bem ou mal? Isso fica para os filósofos e sociólogos e outros “…os” responderem.

O segundo, ocorreu no dia 28 de Dezembro, e reflecte a vontade daquela gente em ter um Natal parecido ao nosso. Ao chegar a Bissau ao anoitecer dirigia-me, a pé, à pensão da D. Berta. Tinha acabado de fazer a mais fantástica viagem da minha vida (falarei dela noutra ocasião), e estava agora a chegar à Praça do Império ou dos Heróis Nacionais (penso ser esse o seu novo nome), uma praça que fica bem no centro de Bissau e onde decorrem todos os grandes acontecimentos, festas, manifestações, cortejos, etc.

Este ano encontrei uma cidade mais bonita. Não haviam aqueles montes de lixo nas ruas, alguns buracos nas estradas estavam tapados e à noite a praça estava toda iluminada ao estilo ocidental.

Mas, um estranho som pairava no ar. Era um som agudo e indecifrável, daqueles que parecem vir de todo o lado. Ao aproximar-me comecei a verificar que aquele som vinha duma árvore de natal, construída com luzes de Natal, daquelas pequeninas que têm um pequeno módulo que produz musica Natalícia. Com um pouco de atenção podia-se identificar naquele mar de sons algumas musicas de Natal conhecidas.

Podia não ser a maior árvore de Natal de África, mas certamente era a mais musical do Mundo!

1 COMENTÁRIO

  1. Natal 2006. Estava em Bissau. Morava perto da D. Berta, numa rua que ia dar ao hospital Simão Mendes. Arrepiei-me ao ler a história das luzes de Natal. Lembro-me perfeitamente. É provável que nos tenhamos cruzado algures no X-club, na Baiana, na D. Berta, no Benfica… em algum lugar.

    Continua com este site e força nas tuas viagens.

    Abraço.

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.