Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa, Portugal

9

Cabo da Roca, Portugal

“Eis aqui, quase cume da cabeça

De Europa toda, o Reino Lusitano,

Onde a terra se acaba e o mar começa

E onde Febo repousa no Oceano.”

Luís de Camões, Lusíadas, canto III

O Cabo da Roca é um dos lugares mágicos de Portugal, da Europa e do Mundo, pois ali se concentra todo o espírito que levou os Portugueses a lançarem-se à descoberta de novos mundos: o inicio do mar.

Quando lá vou gosto também de o ver doutra forma: virar-me de costas para o Mar, e imaginar a imensidão de terra que ali começa e vai até ao estreito de Bering.

São 12.000km de terra até ao cabo de Dezhnev na Sibéria, o ponto mais oriental do continente Euro-asiático!

Certificado do Cabo da Roca

Embora aqui tão perto, só la fui o ano passado, e depois disso já voltei outra vez. Gosto destes lugares.  Quem visita o cabo da Roca pode obter por 9,9€ um belo certificado de visita no posto de turismo ali ao lado.
Certificado do cabo da roca

Como chegar

Vindo de Lisboa, apanhe a A5 até ao fim e depois siga pela N9-1 em direcção a Sintra por 9Km até encontrar um corte à esquerda que indica Cabo da Roca. Saindo de Belém, pode também fazer uma viagem mais agradável pela costa de Estoril/Cascais pela N6.

À saída de Cascais já encontra sinalização para o Cabo da Roca / Sintra.

A partir de Sintra siga as placas para o Cabo da Roca por 13km, depois corte à direita.

Mapa do Cabo da Roca


Ver cabo da roca num mapa maior

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

9 COMENTÁRIOS

  1. Um local fabuloso mas também muito perigoso. Muitos turistas incautos não têm o devido cuidado. É um local muito ventoso e já houve quem morresse aqui só para fazer uma selfie. Visite-o mas tenha atenção aos avisos de perigo.

  2. Hey João! Td bem?

    Obrigado pelo teu comentário. Essa viagem pela II Guerra Mundial parece-me uma ideia fabulosa. Força nisso!

    Qnd for a Lisboa vou aí tratar do candeeiro 🙂

    Grande abraço
    Samuel

  3. Caro Samuel,

    Ainda agora me fizeste perder 1h30 útil de trabalho, porque em vez de estar de volta das Petições Iniciais, estava a ler os teus diários de bordo.
    Mas não dou o tempo por perdido, pelo contrário.

    Realmente, longe vai o Samuel que conheci há muitos anos… tás feito um aventureiro e invejo-te por isso.
    Grande experiência de vida que vais tendo nestas tuas viagens. Esta das “boleias em frança”, ainda te estou a imaginar nesses 19 dias. Admiro-te por isso, porque eu acho que jamais teria essa capacidade de vivência e sobrevivência.

    Qualquer dia, quando deixar de ter algum juízo ainda me junto a ti num qualquer percursso que faças.
    Logo eu que ando a remoer com uma viagem desde a Normandia até à Polónia, a fim de visitar os sítios mais emblemáticos da II GM.

    Um abraço para ti e cumprimentos aí em casa.

    Continua a escrever os relatos das tuas viagens, para eu me ir inspirando a fazer uma coisa destas um dia.
    E vê lá se quando vieres a Lisboa mandas uma apitadela… tou a precisar de montar outro candeeiro na sala lol 🙂

    Abraço e sorte nas próximas aventuras…

    João Tiago

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.