Ponta da Ferraria, nascente termal no mar

2

Ponta da Ferraria - Ilha de São Miguel, Açores

A ponta da Ferraria fica no extremo ocidental da ilha de São Miguel e mais uma vez vai poder experimentar aqui a força que emana do interior da terra.

Visitei este local depois de descer das Sete Cidade, já ao final do dia quando ia a caminho de Ponta Delgada e por isso já não deu para ir experimentar as águas.

É algo de fabuloso o fenómeno geológico que aqui ocorre. Já noutros locais da ilha de São Miguel me tinha deparado com nascentes termais onde sabe bem um banho nas águas quentes que emanam da terra.

A particularidade da Ferraria é que aqui a nascente termal fica no mar. Então, podemos tomar banho nas águas do mar, que por norma são geladas nos Açores, a uma temperatura que varia entre os 18º C e os 28º C. A temperatura varia com a maré, já que a concentração de água aquecida também varia.

Nascente termal da Ferraria, Açores
Nascente termal da Ferraria, Açores

Próximo desta pequena piscina natural encontram-se as termas da Ferraria, restauradas recentemente, onde agora funciona um Spa e um bar / restaurante.  Pode encontrar mais informações na página oficial: Termas da Ferraria

Termas da Ferraria, Ilha de São Miguel, Açores
Termas da Ferraria, Ilha de São Miguel, Açores

Mais fotografias da Ponta da Ferraria

Neste meu álbum no Flickr tenho todas as fotografias que tirei na Ponta da Ferraria em 2015.

Localização da Ponta da Ferraria

Guardar

Guardar

Guardar

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Quando anteontem aterrei em Ponta Delgada, uma das opções era esse local.
    Mas teria que atentar nas marés e a distância, convenhamos, dissuadiu os meus propósitos.
    Mas foi um sítio que sempre me fascinou. Até por alguém que há uns tempos aí foi e disso me relembrou.
    Acabei por ir até à cidade. O Hospital onde dera sangue, desaparecera…e era tão giro!
    Mas o banco… o banco da esperança, lá resiste, para lembrar que alguém muito desiludido com a vida e o nosso país lá terminou o último suspiro…
    Antero, antero…Vida pra que te quero, se estamos tão mal?!..
    Compreendo-te, Quental!…

Ficou com dúvidas? Quer acrescentar alguma coisa? Deixe um comentário!