Parque nacional de Chobe, Botswana

3

Chobe é o terceiro maior parque natural do Botswana, localizado no extremo nordeste do país junto às fronteiras da Namíbia, Zimbabwe e Zâmbia. Aliás, o rio Chobe, que dá nome ao parque, delimita a fronteira do Botswana com a Namíbia.
O parque possui uma das maiores concentrações de elefantes do mundo, com cerca de 50,000 destes gigantes, para além de outras espécies como girafas, antílopes, leões, leopardos, hipopótamos, etc.

Visitar o parque de Chobe a partir das Cataratas Vitória

Uma grande parte dos visitantes do parque chega a Chobe vindo da Zâmbia ou do Zimbabwe numa day trip. Foi o que eu fiz, já que esta me pareceu a melhor opção para um pequeno safari em que pudesse observar uns quantos animais no seu habitat, e tinha a mais valia do passeio de barco.

Pelas 7 da manhã há um carro que nos vem buscar ao hostel e nos leva a percorrer os cerca de 70km até à fronteira com o Botswana.Pelo caminho temos logo a oportunidade de observar alguns animais, como elefantes, impalas, babuínos e algumas aves interessantes. Estamos em ÁFRICA!

Babuínos na estrada para o Botswana
Babuínos na estrada para o Botswana

Chegamos assim a uma das fronteiras mais peculiares de África, onde 4 países se encontram: Zâmbia, Zimbabwe, Namíbia e Botswana e rapidamente cumprimos as formalidades de entrada. A partir daqui juntamos-nos ao resto do grupo que nos vai acompanhar no resto do dia e seguimos num minibus.

O dia começa com o pequeno almoço num lodge nas margens do rio Chobe em Kasane, a poucos quilómetros dali. Será aí a nossa “base” de onde partirão os barcos e os jeeps e onde tomaremos o almoço.

De barco pelo rio Chobe

Chega assim a hora de navegar pelo rio Chobe. O rio Chobe , ou rio Cuando, nasce em Angola e faz aqui nos seus últimos quilómetros fronteira entre a Namíbia e o Botswana, antes de se juntar ao Zambeze.

A possibilidade de navegar nele era o que mais me atraía nesta viagem, dada a rica fauna que habita as suas margens e dependendo dele para sobreviver.

O passeio no catamaran de dois andares não ficou aquém das expectativas e tivemos a oportunidade de ver de bem perto alguns dos animais mais ligados à água, como os hipopótamos, crocodilos e os elefantes que se aventuram perigosamente dentro do rio em busca de erva fresca.

O único senão foi o vento frio que se fazia sentir e para o qual não ia preparado.

 Safari por terra

Depois do almoço buffet foi a vez de partirmos para a exploração do parque por terra. Na verdade vimos só uma pequeníssima parte desta reserva natural com 11000km2 (maior que o distrito de Beja!).

A bordo das viaturas todo terreno entrámos no parque pela porte de Sedudu e fomos seguindo próximo da margem do rio que havíamos percorrido de manhã, observando os animais agora de uma perspectiva diferente e por vezes muito mais próxima.

Espécies avistadas

Para apenas um dia, a variedade de espécies avistadas foi bastante satisfatória, ficando a faltar vermos alguns dos grandes predadores, como o leão ou o leopardo. Segundo o guia, eles existem no parque, mas normalmente ficam mais pelo interior.

Hipopótamos, Parque de Chobe, Botswana
Hipopótamos, Parque de Chobe, Botswana

Os impalas são uns pequenos antílopes que vivem em grandes rebanhos, muito frequentes no parque. São óptimos atletas, podem saltar até 10m e atingir os 90km/h, o que lhes permite sobreviver aos seu predadores

Impalas, Parque de Chobe, Botswana
Impalas, Parque de Chobe, Botswana

Embora um pouco envergonhadas, as girafas deram um ar da sua graça por cima da vegetação por várias vezes.

Girafa, Parque de Chobe, Botswana
Girafa, Parque de Chobe, Botswana

O famoso Pumbaa do Rei Leão, fez várias aparições, chegando a caminhar um bom bocado ao nosso lado. Talvez pela falta da companhia do seu amigo Tmon, não o ouvimos cantar “Hakuna Matata” 🙂

Facócero, Parque de Chobe, Botswana
Facócero, Parque de Chobe, Botswana
Corcodilo, Parque de Chobe, Botswana
Corcodilo, Parque de Chobe, Botswana

No parque de Chobe vive uma das maiores populações de elefantes do mundo: cerca de 50.000! Esta enorme quantidade de animais que se tem reproduzido ao longo dos últimos anos começa a constituir um problema ecológico já que está a destruir quase toda a vegetação do parque. Passámos por zonas recentemente destruídas por eles e faz lembrar um cenário de catástrofe. Pondera-se mesmo a abertura da caça a estes gigantes.

Para nos lembrar que não estamos no jardim zoológico e que aqui é necessário lutar pela comida e pelas companheiras, fomos presenteados com uma luta entre dois elefantes. Fica o vídeo.

Informações práticas

Como comecei por escrever, visitei o parque numa day trip a partir de Vitoria Falls, no Zimbabwé.

Fiz a marcação no dia anterior à tarde no hostel, mas por toda a cidade há dezenas de agências de viagem que as organizam.

O preço pago foi de 160USD e inclui tudo: transportes, pequeno almoço, e almoço, visitas guiadas, entradas no parque. Fica excluído apenas as despesas com os vistos. Para o Botswana é gratuito, mas para o Zimbabwe vai precisar de um novo visto para entrar no país, se o seu não for de múltiplas entradas. Saiba mais aqui sobre o visto para o Zimbabwe.

Olá! Eu sou o Samuel, autor do artigo que acabou de ler. Como você, também gosto de viajar e descobrir povos e lugares. Partilho neste blog as experiências vividas nos vários países por onde já andei. Pode saber mais sobre mim na página Sobre o autor. Espero que tenha gostado e, se tiver alguma coisa a acrescentar, deixe um comentário abaixo.
  • Joana Castro

    Gostava de perguntar se fez esta viagem sozinho, ou com algum grupo. Estava a pensar fazer uma rota num daqueles camiões equipados, mas tenho receio de perder algum contacto com as populações. Obrigada!

    • David Samuel Santos

      Olá Joana,
      Eu fiz esta viagem com a minha irmã, mas de forma independente. Essas viagens nos camiões serão certamente muito mais cómodas, mas sim, certamente que vai perder no contacto com as pessoas e certamente gastar bastante mais.
      Pode é conjugar uma viagem independente com alguns dias de safari, recorrendo a viagens tipo esta, que fiz ao Botswana, a partir do Zimbabue, que são muito fáceis de organizar lá na hora. Do Zimbábue, que a par com Moçambique foram os dois paises que explorei mais profundamente nesta viagem, posso dizer que é muito seguro e fácil de viajar.
      Qualquer dúvida vai perguntando.
      Abraço
      Samuel

  • Pingback: Cataratas Vitória, Mosi-oa-Tunya | Dobrar Fronteiras()