banner_libano
O Líbano é um dos países mais liberais, desenvolvido e bonito do Médio Oriente. Visitei-o em Junho de 2010, numa viagem que passou também pela vizinha Síria, país de e para o qual é muito fácil de viajar a partir da Síria. Estive essencialmente no Norte do país, onde se concentram os principais pontos de interesse.

Locais a visitar no Líbano

Beirut, LíbanoBeirute, capital do Líbano

Beirute é uma cidade que surpreende mesmo os mais preparados para uma grande diferença para as restantes cidades do Médio Oriente.

Quem lá chega nos dias de hoje encontra uma cidade em reconstrução, obras de grandes arquitectos, carros potentes, luxo, marcas da guerra, e uma grande mistura cultural.

Património UNESCO

Na minha viagem ao Líbano em 2010 consegui visitar todos os locais património da humanidade deste país à excepção de Tiro, um importante cidade fenícia no Sul do país.

Estes locais são cada um deles um exemplo daquilo que este país tem de melhor para oferecer: primeiro Aanjar e Baalbek, ruínas de cidades e grandes templos romanos e omiadas, depois Byblos, uma importante cidade para os primeiros povos do mediterrânico, e o vale de Qadisha, bastião da comunidade cristã maronita e os cedros, símbolo deste país e exemplo único da beleza natural do Líbano.

Vale de Qadisha, LíbanoVale de Qadisha e Floresta dos Cedros de Deus, Património UNESCO Líbano

Iniciando-se poucos metros abaixo dos cedros junto a Bcharré, o impressionante vale de Qadisha é desde os primeiros anos depois de Cristo local de abrigo a comunidades cristãs.

Asensação de completo isolamento do resto do mundo que se sente em Qadisha é algo que nunca encontrei semelhante em qualquer outro lugar.

Ruinas de Anjar, LibanoRuínas de Anjar; Património Unesco no Líbano

No local, que há muito tempo já era habitado por gregos, romanos e cristãos, foi fundada no século XVIII pelo Califa Walid I esta cidade, como uma cidade comercial que continha mais de 600 lojas, banhos tipo romano, dois palácios e uma mesquita. O seu nome deriva do árabe “ayn al-jar” que quer dizer “água da rocha”, referindo-se à água que nascia ali nas montanhas.

Apesar da sua exemplar organização, a cidade apenas prosperou por 20 ou 30 anos, tendo sido conquistada pelos Abássidas, a terceira dinastia árabe, e caído depois em desuso e no esquecimento.

Ruínas de Byblos, LíbanoByblos, Ruínas de cidade Património da Humanidade no Líbano

Ruínas de várias civilizações podem ser encontradas em Byblos, a mais antiga cidade fenícia. Habitada desde o Neolítico esta desenvolveu-se dentro duma forte muralha até  2150a.C, ano em que foi queimada após invasão dos Amoritas. Prova disso é uma camada de cinza (que em certas zonas chega a ter 50cm)  e que separa as camadas dos dois períodos.

Aproximadamente 200 anos depois a cidade foi reconstruida com novos templos. Cidade comercial, Byblos hospedou sucessivos povos que a conquistaram e deixaram a sua marca, como os Assírios, Babilónios ou Gregos.

Ruina de Baalbek, LíbanoBaalbek, Património da Humanidade no Líbano; Ruínas de Heliopolis

Baalbek, conhecida hoje como bastião do Hezbollah é herdeira de um inigualável património do império romano.

O templo de Baco é dos mais bem conservados templos romanos existentes, e lá dentro não é dificil imaginar como seria há alguns séculos atrás: pouco mais falta que o telhado e a decoração.

O templo de Jupiter com as suas enormes colunas deixaram-me mais perplexo que as pirâmides do Egipto.

Alojamento no Líbano:

Transportes no Líbano:

Mapas do Líbano

Guardar