banner_zambiaQuando visitei a Zâmbia: Junho 2014
Embora inesquecível, a minha visita à Zâmbia foi um quanto minimalista. Estive neste país menos de 24 horas, na cidade de Livingstone junto às cataratas Vitória em Junho de 2014.
Embora o plano inicial da viagem previsse uma travessia de parte do país, entrando a partir do Malawi, acabei por optar em terminar a viagem nesta cidade a apanhar um avião daqui para a África do Sul, poupando assim tempo de viagem de autocarro e aproveitando-o para conhecer outros locais em Moçambique e Zimbabwe.

Alguns dados sobre a Zâmbia

  • Capital: Lusaka
  • População: 11,6 milhões
  • Língua ofícial: Inglês
  • Moeda: Novo Kwacha Zambiano

Fronteiras da Zâmbia

O Zimbabwe faz fronteira a Norte com a República Democrática do Congo e a Tanzânia, a Sul com o Zimbabwe o Botswana e a Namíbia, a Nascente com o Malawi e Moçambique e a Poente com Angola

Visto para a Zâmbia

PassaporteOs cidadãos portugueses e da generalidade das nacionalidades podem obter o visto na própria fronteira.
Caso a sua intenção seja de apenas visitar as cataratas vindo do Zimbabwe, pode tirar um visto de 24 horas, por 20USD na fronteira. Este visto só é válido se pretender entrar e sair pela mesma fronteira.
Eu por exemplo  embora tenha estado menos de 24h no país, como ia sair de avião a partir de Livingstone para a África do Sul fui obrigado a tirar um visto simples, que custou 50USD, já que não ia sair pelas mesma fronteira da entrada. Este visto é válido por 30 dias e pago em dólares americanos.

Cataratas Vitória na Zâmbia

Cataratas Vitória, Zambia
Mosi-oa-Tunya, o fumo que troveja. É assim que chamam os habitantes locais a esta maravilha da natureza localizada na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabwe, escavada pelo rio Zambeze num maciço de basalto ao longo de milhares de anos.
Esta foi sem dúvida alguma a mais impressionante obra da natureza que vi até hoje. Visitei-as em Junho, no final da época em que o rio Zambeze se enche com o maior caudal. Bom, não tenho propriamente palavras para descrever o som, o vapor, o constante arco-íris, a energia que emana do fundo daquele vale.
Continuar a ler mais sobre este local na página: Cataratas Vitória, Mosi-oa-Tunya

Livingstone, a cidade e o homem

Museu de Livingstone, ZambiaA cidade de Livingstone, a cerca de 10km das cataratas Vitória serve de base à visita a estas e foi apelidada com o nome do grande explorador e missionário britânico David Livingstone.
Livingstone terá sido o primeiro europeu a ver as cataratas, tendo-lhe dado o nome de Vitória em homenagem à rainha inglesa, e organizado as primeiras expedições de exloração desta zona de África, onde viria a falecer em 1873.

Museu de Livingstone

Hoje é possível visitar um interessante museu que para além de contar um pouco da história da cidade e do país, alberga alguns objectos pessoais de Livingstone assim como cartas e páginas dos seus diários. Algo impredível para qualquer amante das viagens.

Onde dormir

Fawlty towersA minha escolha para a noite que passei em Livingstone foi o hostel Fawlty Towers, localizado bem no centro de cidade e perto do museu.

Tem provavelmente os dormitórios mais espaçosos de África (quiçá do mundo). Já vi quartos do mesmo tamanha com 12 camas, quando ali haviam apenas 4!
Enormes espaços comuns, biblioteca, bar, piscina, cozinha totalmente equipada, chá e café gratuito o dia todo e panquecas gratuitas às 15h00.

Mapa de Livingstone


Ver Livingstone, Zambia num mapa maior

  • Olá Samuel. Sabes se se consegue tirar visto no aeroporto de Victoria Falls à chegada para o Zimbabwe e Zâmbia? Obrigada.

    • David Samuel Santos

      Penso que sim Carla. Eu tirei o visto para o Zimbabwe na fronteira da África do Sul, e outro na do Botswana. Se deu nas fronteiras terrestres, certamente que tb dará no aeroporto. Depois para a Zâmbia tiras ao passar a ponte.
      vê aqui: http://wikitravel.org/en/Zimbabwe Categoria B, na fronteira. Quando fui foi assim.
      Vais voltar a África?

      • Eu nas fronteiras entre o Botswana e o Zimbabwe já tirei (e tirei o dos dois países no mesmo visto), em Kasane. Também penso que dará mas vamos ver. 😉 Obrigada, Samuel.